_________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________

1 de jul de 2010

Proprietários do Estado e das pessoas

A blogueira Yoani Sanchez, cronista da vida real dos cubanos, talvez nem perceba o valor de revelação que têm alguns dos detalhes prosaicos que escapam de sua narrativa...
Veja um trecho de sua entrevista à "Veja":

Como o governo tem reagido a seu blog?
O portal Desdecuba.com, em que o site está hospedado, está bloqueado há mais de um ano para quem tenta acessá-lo de Cuba. Há algumas semanas, cancelaram o site Voces Cubanas, que possuía vários diários virtuais, incluindo uma cópia do meu. O governo também se esforça para me transformar em uma pessoa radioativa. Membros da polícia política me vigiam todo o tempo e dizem a meus vizinhos, amigos e parentes que sou perigosa. Falam que quero destruir o sistema e sou uma mercenária do império. Em um país onde todo mundo trabalha para o estado ou depende da ajuda do governo, esse método surte efeito. Muita gente já se afastou de mim. Alguns nem me telefonam. É uma luta desigual. Todo o poder de um estado recai sobre mim. Até minha mãe tem sido vítima dessa campanha atemorizante. Eles a pressionam no trabalho. Ameaçam tirar seu emprego. Ela não faz nada especial, que possa desestabilizá-los. Não tem blog. Não é jornalista.

Qual é o trabalho de sua mãe?
Ela preenche formulários em um ponto de táxi.

Puta que pariu!
Para pegar um taxi tem que preencher um formulário!
Esses caras são doentes!

E agora, Hugo Chávez, com outro exemplo do que nos espera se a demência se estabelecer entre nós:

A criação de um sistema econômico baseado na "propriedade social dos fatores e meios de produção básicos e estratégicos", e dividindo o país em pequenas comunidades que substituem os governos estaduais e municipais eleitos, está prestes a ocorrer na Venezuela.
Mediante duas leis de adoção iminente, a Venezuela será subdividida em "comunas" que contarão com moedas próprias não-conversíveis e sistema comercial baseado no escambo. Elas dependerão administrativamente de um ministério central. A atividade produtiva estará nas mãos de "organizações sócio-produtivas". Para trabalhar em uma dessas organizações será obrigatório professar a "ética socialista", ser ativista no "Conselho Comunal" e residir na respectiva comuna. Mudar-se da comuna significará a perda do emprego.
Nada disso está contemplado na Constituição venezuelana. Todos estes aspectos estão contidos na "Lei das Comunas" e na "Lei para o fomento e desenvolvimento do sistema econômico comunal". A Assembléia Nacional, controlada por Hugo Chávez, está pronta para aprová-las em segundo turno.

Nenhum comentário: